Vinho
Indicar para um amigo

Brunello di Montalcino DOCG (Ciacci Piccolomini d’Arangona)

País: Itália (Toscana – Montalcino)
Safra: 2003
Tipo: Tinto (100% Sangiovese Grosso)
Álcool: 14,00%
Temperatura de consumo: 16ºC a 18ºC
Preço: R$ 232,00

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

Os Brunello di Montalcino são os ícones da Toscana e uns dos mais renomados tintos italianos, originários da comuna de Montalcino, em Siena, onde se localiza sua DOCG (Denominação de Origem Controlada e Garantida), a mais alta qualificação para vinhedos na Itália.

São elaborados 100% com uvas Sangiovese, também conhecidas localmente por Brunello, e obrigatoriamente envelhecem por quatro anos, dois deles, pelo menos, em contato com carvalho, antes da distribuição ao mercado. Os produtores mais tradicionais dos Brunellos utilizam madeira da Eslovênia, ao passo que os produtores mais modernos optam pelo carvalho francês.

No caso deste Brunello de Montalcino DOCG da Tenuta Ciacci Piccolomini d’Arangona, o vinho permanece por mais de três anos em barris de carvalho esloveno e afina por mais de quatro meses na própria garrafa antes de ser comercializado. Surgem apenas 14 mil garrafas por safra. Suas uvas, cuidadosamente selecionadas, são colhidas de plantas com 7 a 10 anos de idade em 16,54 hectares de vinhedos próprios, posicionados entre 240 e 360 metros acima do nível do mar.

A principal instalação da empresa é um palácio do século XVII, herdado pelos irmãos Paolo e Lucia Bianchini, que comandam a vinícola atualmente.

Muito premiada por suas obras engarrafadas de Montalcino, a vinícola valoriza o próprio trabalho, protegendo cada um dos seus vinhos com hologramas que garantem autenticidade. Os Brunellos ainda saem de fábrica com um sistema de rastreamento baseado em um código numérico, uma ferramenta a mais contra eventuais falsificações.

Análise Técnica

O Brunello di Montalcino DOCG da Ciacci Piccolomini d’Arangona deve ser decantado por mais de uma hora antes do consumo, para que a oxigenação abra todos seus aromas e sabores, e apreciado em taças altas ou de formato “ballon”.

A orientação foi dada pela especialista Sonia Denicol, consultora da Ars Vivendi, importadora exclusiva das obras da vinícola italiana ao Brasil, entrevistada por MundoVinho em degustação organizada em São Paulo, no mês de julho de 2008.

“Este Brunello é um vinho estruturado capaz de desenvolver maior complexidade de aromas e sabores após guarda de 10 a 20 anos, pelo menos, em condições adequadas”, acrescentou ela.

Sonia destacou a cor intensa rubi tendendo ao granado deste clássico ícone toscano e certa transparência que demonstra, segundo ela, “um estilo de vinificação do produtor que retira da uva somente o essencial para a elaboração de um excelente vinho”.

Em sua avaliação sobre os aspectos olfativos do vinho, Sonia citou os perfumes marcantes que lembram frutas vermelhas maduras e especiarias, algo muito fino e elegante.

Ela ainda mencionou os taninos moderadamente “pronunciados” do vinho, o “encorpado” da bebida e a longa persistência de sabores essencialmente frutados, além do excelente equilíbrio, percebidos na análise gustativa do exemplar italiano. Surgem apenas 14 mil garrafas por safra deste Brunello di Montalcino DOCG.

A recomendação, segundo a especialista, é de que o consumo ocorra a 18ºC em ocasiões especiais em que este tinto acompanhe pratos à sua altura. As sugestões são massas, risotos, pratos à base de carnes vermelhas e de caças, entre outras opções que incluem queijos curados.

Nossa Análise

Um dos vinhos mais prestigiados da Itália e mais caros, o Brunello di Montalcino obrigatoriamente passa por quatro anos de envelhecimento, sendo pelo menos dois em barricas de carvalho, antes de ser apresentado ao mercado. São elaborados 100% com uvas Sangiovese, também conhecidas localmente como Brunello. No caso deste tinto da vinícola Ciacci Piccolomini d’Arangona, que vai ao mercado em apenas 14 mil garrafas por safra, o estágio é de três anos em carvalho esloveno e superior a quatro meses na própria garrafa.

Por conta de todo seu prestígio, cuidados e regras na elaboração, deve ser degustado em ocasiões especiais, em taças altas para tintos, a uma temperatura entre 16ºC e 18ºC.

Trata-se de um Brunello clássico, de cor rubi intensa e com uma variedade de perfumes que encantam, denotando sua complexidade aromática. São aromas que, num primeiro momento, lembram frutas vermelhas, toques de especiarias e vegetal e um fundo leve de aromas secundários relacionados com o estágio em madeira. Mas a sensação dos perfumes pode ser alterada a cada aproximação da taça ao nariz.

Na boca, as percepções de aromas se confirmam, além da acidez (sensação que provoca salivação), muito bem combinada com o álcool e os taninos (substância adstringente que comprime lábios e gengivas) presentes, mas não agressivos. Um vinho encorpado (com bastante sensação tátil na boca) e com persistência longa, acima de dez segundos após o gole.

A recomendação do produtor é para decantação por mais de uma hora antes do consumo. Dessa forma, a oxigenação liberará todos os seus aromas e sabores. Este vinho tende a evoluir em guarda de 10 a 20 anos.

Harmonização

Carne vermelha assada
Carnes de caça
Queijos curados
Massas
Risotos

Onde Encontrar

Ars Vivendi
(11) 3061-2307 (São Paulo)
www.arsvivendi.com.br

Copyright® 2019 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions