Vinho
Indicar para um amigo

Rio Sol Demi-Sec 2006 (ViniBrasil)

País: Brasil (Lagoa Grande - Vale do São Francisco - PE)
Safra: 2006
Tipo: Espumante (90% Syrah e 10% Moscato Caneli)
Álcool: 12,00%
Temperatura de consumo: 7ºC a 9ºC
Preço: R$ 25,00

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

A cidade de Lagoa Grande, situada no lado pernambucano do Vale do São Francisco, abriga alguns dos projetos mais audaciosos da vitivinicultura brasileira. Entre as vinícolas ali instaladas está a ViniBrasil, responsável por esse espumante Rio Sol Demi-Sec. A localidade se destaca pela presença quase permanente, ao longo do ano, de dias ensolarados, atingindo mais de 300 dias.

De topografia plana, clima semi-árido, a região, posicionada a cerca de 300 metros acima do nível do mar,  conta com vegetação seca e temperaturas médias próximas a 40ºC. Os produtores locais se valem da irrigação com as águas do Rio São Francisco para cultivar as vinhas. O mesmo rio, com sua brisa, promove algum frescor para as plantas, embora a região seja muito quente.

“A grande vantagem da região é seu clima constante, a permitir grandes possibilidades. É o sonho de todo enólogo, por não ter anos de climas ou uvas ruins”, comenta a enóloga da ViniBrasil, Marta Ágoas.

Essas características possibilitam ao Vale do São Francisco gerar duas safras por ano, resultado do chamado “ciclo vegetativo contínuo”, no qual várias etapas do ciclo da videira co-existem no mesmo dia.

O Rio Sol Demi-Sec resulta de um corte das cepas Syrah (90%) e  Moscato Caneli (10%) e, segundo Marta, é elaborado em uma única safra anual. Como a Syrah é uma uva tinta, a Vinibrasil não deixa que as cascas mantenham contato com o líquido após a prensagem. O método de produção é o Charmat, com a segunda fermentação feita em tanques de inox e o engarrafamento feito sob pressão.

A safra 2006 está pronta para consumo, devendo ser servido em temperatura de 7ºC a 9ºC.

Análise Técnica

A enóloga Marta Ágoas, da ViniBrasil, entende que o Rio Sol Demi-Sec é um espumante fácil de tomar, capaz de atender bem ao paladar médio dos brasileiros e que apresenta boa relação de qualidade e preço. “Não é difícil de tomar como um champagne, por exemplo. É mais fácil, mais leve e refrescante, com alguma estrutura de boca”, observa.

Segundo ela, o exemplar apresenta coloração amarelo claro, bem brilhante, com alguns reflexos esverdeados. O corte de Syrah (90%) e Moscato Caneli (10%) gera uma combinação de aromas, no qual desperta aspectos frutados oferecidos pela Syrah em conjunto dos odores florais despertados pela Moscato Caneli.

“A Syrah foi escolhida porque a região do Vale do São Francisco é muito quente e essa cepa garante a manutenção da acidez desejada, garantindo frescor”, explica a especialista.

Ao degustar o Rio Sol Demi-Sec, a enóloga afirma que os aromas florais não se destacam tanto na boca como no olfato. “Nota-se mais a presença frutada e uma estrutura muito interessante para acompanhamento de sobremesas ou mesmo de um foie gras”, comenta. “Além disso, apresenta alguma persistência de boca depois do gole”, acrescenta, ao reforçar que o objetivo da ViniBrasil foi produzir um espumante “fresco, leve e fácil de tomar”.

Nossa Análise

O Rio Sol Demi-Sec é uma das boas alternativas para quem procura espumantes sobretudo para eventos, como coquetéis em celebração. Trata-se de um espumante fácil de beber, ao combinar sabores seco e adocicado, o que tende a agradar ao gosto médio das pessoas – ou pelo menos não desagrada, principalmente aqueles que preferem espumantes secos.

A coloração é amarelo palha, com toques esverdeados, e sua perlage é formada de borbulhas médias, em grande quantidade, que se desprendem em linha reta (sinal de qualidade) do fundo taça. A espuma é ligeira, ou seja, de curta duração.

Exala cheiro levemente adocicado, lembrando a melão, maçã e frutas cítricas, além de perfume de flores brancas. Mas nada explosivo.

Na boca, revela leveza, preenchendo bem a todos os cantos e dando os primeiros sinais na metade da língua. O sabor é mais puxado para algo doce do que seco, remetendo a algo herbáceo, remetendo a um pouco de amêndoa.

O álcool é bem integrado ao conjunto da bebida. Embora seja refrescante, não provoca muita salivação, pois a acidez não é tão elevada (inclusive porque a região do Vale do São Francisco é muito quente).

Após o gole, a persistência de sabor é média, algo de três a quatro segundos, deixando um leve amargor ao final. É, portanto, uma alternativa muito interessante, por exemplo, aos proseccos italianos, especialmente para ser servido em cerimônias como casamentos, formaturas ou eventos corporativos. Também agrada como acompanhamento a uma refeição ou para ser servido junto com sobremesas.

Harmonização

Aperitivo
Canapés
Foie gras (patê de fígado de ganso)
Pratos a base de peixe
Sobremesas

Copyright® 2017 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions