Vinho
Indicar para um amigo

Auxey-Duresses Premier Cru Les Duresses (Jaffelin)

País: França (Borgonha – Côte de Beaune)
Safra: 2006
Tipo: Tinto (100% Pinot Noir)
Álcool: 13,50%
Temperatura de consumo: 16ºC a 18ºC
Preço: R$ 162,00

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

Auxey-Duresses é uma vila vinicultora de Côte de Beaune, na famosa região francesa da Borgonha, onde estão plantadas as vinhas de Pinot Noir que proveram as uvas deste tinto seco produzido pela Jaffelin, empresa pertencente ao grupo Boisset, o que mais coloca garrafas de Borgonha no mercado.

A pequena produção e a dificuldade de estrangeiros pronunciarem seu nome talvez explique porque este vilarejo é o menos conhecido da região. Entretanto, seus vinhos tintos são tão bons quanto os das vilas vizinhas e mais destacadas, chamadas de Monthélie e Volnay.

A Jaffelin, por sua vez, é a menor das reconhecidas maisons da Borgonha e uma das poucas que ainda produzem seus vinhos no centro histórico de Beaune. No caso deste tinto premier cru, as uvas foram colhidas e selecionadas manualmente.

A vinificação ocorreu em grandes tanques de madeira com capacidades de variam de 18hl a 60hl, por um período de 25 dias de maceração durante a fermentação alcoólica. O vinho ainda envelheceu por 12 meses em barricas de carvalho francês (cerca de 40% novas) para depois ser levemente filtrado e engarrafado.

De acordo com a vinícola, o Auxey-Duresses Premier Cru Les Duresses está pronto para consumo, mas seu ápice de maturação tende a ser atingido entre 2011 e 2016, desde que guardado em condições adequadas. Como dica de acompanhamento, este tinto vai bem com assados da alta gastronomia, como carne bovina, cordeiro e pato.

Ao Brasil está sendo importado pela Mercovino, de Ribeirão Preto (SP), que lançou o produto em meados de maio de 2009.

Análise Técnica

André Maculan, o diretor da importadora Mercovino, e Denis Rimbert, diretor de exportação do grupo Boisset, estiveram em São Paulo em meados de maio de 2009 para lançar no mercado brasileiro este Auxey-Duresses Premier Cru Les Duresses 2006 e outros vinhos de Borgonha.

Sobre esse exemplar, produzido por uma das vinícolas do grupo francês, a Jaffelin, os especialistas destacaram a elegância e a finesse de um típico Pinot Noir da região de Borgonha.

Em relação ao aspecto visual, mencionaram a cor vermelha rubi, límpida e brilhante, clara, que permite a passagem de luz através da taça.

No aromas, Maculan e Boisset destacaram o toque mineral, salgadinho, além da intensidade de cheiros de frutas vermelhas exalados pelo Auxey-Duresses Premier Cru Les Duresses 2006, e as notas que lembraram sous bois.

Na boca, o toque salgadinho no final confirmou a característica mineral deste Borgonha, que ainda se mostrou equilibrado, de bom corpo, fino e de boa persistência na avaliação do produtor e do importador.

A recomendação é para servi-lo juntamente com pratos bem elaborados à base de carne bovina, pato e cordeiro assados. Segundo os especialistas, este tinto seco está pronto para consumo, mas deve atingir seu auge entre 2011 e 2016, se guardado em condições adequadas. A temperatura de serviço é entre 16ºC e 18ºC.

Nossa Análise

Este Auxey-Duresses Premier Cru Les Duresses, da vinícola Jaffelin, reúne as características de um vinho de qualidade da região francesa da Borgonha, elaborado com a Pinot Noir, a uva autóctone e estrela da localidade, famosa mundialmente.

Na taça, a aparência é de um vinho de coloração rubi com pigmentação leve, claro e penetrável pela luz, porém límpido e brilhante, típicos de um exemplar Pinot Noir.

Após a descrição visual, a busca pelos aromas deste tinto de Borgonha se mostrou um tanto prazerosa, em função da diversidade, o que caracteriza a complexidade do vinho e também, de certa forma, sua finesse e boa qualidade.

O Auxey-Duresses Premier Cru Les Duresses é um vinho intenso, pois exalou aromas de frutas vermelhas, de cogumelos ou funghi secchi, notas de torrefação e de sous bois (aroma de terra úmida, cogumelos e folhas do bosque em decomposição), além de um toque mineral.

Na boca, este tinto seco apresentou uma boa acidez integrada com o álcool, ou seja, equilíbrio, e taninos bem leves (finos). O toque mineral encontrado no aroma se confirmou na boca, dando um final meio salgadinho agradável ao paladar.

Com bom corpo, este Borgonha ainda teve boa persistência após o gole. É indicado para acompanhar pratos bem elaborados de carne vermelha, cordeiro ou pato assados. De acordo com o produtor, já está pronto para o consumo, mas deve evoluir nos próximos anos, atingindo seu auge entre 2011 e 2016, se guardado em condições adequadas.

Harmonização

Carnes vermelhas assadas
Cordeiro assado
Pato assado

Onde Encontrar

Mercovino
(16) 3635- 5412 (Ribeirão Preto – SP)
www.mercovino.com.br

Copyright® 2019 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions