Vinho
Indicar para um amigo

Cordelier Espumante Brut (Vinícola Cordelier)

País: Brasil (Bento Gonçalves – Vale dos Vinhedos)
Safra: -
Tipo: Espumante (80% Chardonnay e 20% Pinot Noir)
Álcool: 12,00%
Temperatura de consumo: 6ºC a 8ºC
Preço: R$ 30,00

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

A Cordelier é um dos nomes de destaque do Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves, principal região vinícola do País. Com este Cordelier Espumante Brut, a produtora tem obtido ótimos desempenhos em concursos internacionais de vinhos.

A partir das castas Chardonnay (80%) e Pinot Noir (20%) cultivadas em sistema de espaldeiras no Vale dos Vinhedos, esse espumante seco é elaborado pelo método champenoise, de segunda fermentação em garrafa. Depois de um período de 18 meses em contato do líquido dentro da garrafa, as leveduras e borras são extraídas e o vinho é novamente engarrafado para comercialização.

De 24 mil a 36 mil unidades são oferecidas ao mercado pela Cordelier a cada ano. Como resulta de misturas de vinhos de safras distintos, o exemplar não é safrado.

No Vale dos Vinhedos, o microclima é temperado, úmido, de dias ensolarados, porém não muito quentes, e noites muito frias. Os solos areno-argilosos e ácidos aportam minerais que conferem complexidade aromática e ao sabor das uvas, beneficiando a qualidade dos vinhos. Há anos, os espumantes da localidade têm merecido reconhecimento internacional e disputam mercados em situação de igualdade.

O Cordelier Espumante Brut deve ser servido com temperatura de 6ºC a 8ºC e, após aberto, convém ser mantido em um balde com gelo ou wine cooler. Harmoniza bem com carnes leves brancas, como frangos e peixes, queijos brancos e canapés, em recepções.

MundoVinho avaliou o Cordelier Espumante Brut no início de setembro de 2009.

Análise Técnica

Enólogo da Vinícola Cordelier, Dario Crespi entende que o Cordelier Espumante Brut se destaca por combinar as características de um seco sem apresentar notas de amargor e, ao mesmo tempo, maciez que encanta a praticamente todos os tipos de paladar.

“Não é tão seco a ponto de desestimular a próxima taça, pelo contrário. É até fácil de beber e convidativo a um novo gole”, afirma.

Na descrição do produto, o especialista indica coloração amarelo-palha não muito intenso, com tons esverdeados, e características joviais. “Não queríamos um amarelo muito intenso porque traz uma percepção de que o espumante possa estar oxidado. Também por isso, optamos pela colheita da Chardonnay não muito madura”, explica.

As borbulhas, aponta o enólogo, são pequenas e abundantes, resultado da fermentação pelo método champenoise. “Nota-se a formação de uma coroa de espuma, pequena, na superfície do líquido e um desprendimento constante e regular das borbulhas do fundo da taça”, relata.

No olfato, destaque para notas de pão torrado, manteiga, frutas tropicais, como abacaxi, e flores brancas. A maciez na boca é outro destaque apontado por Crespi. “A acidez não é muito pronunciada, mas equilibrada com o álcool e a maciez torna esse espumante interessante para todos os paladares”, comenta. “Vai bem como um aperitivo, para uma comemoração como festa de casamento, ou como acompanhamento gastronômico, pois tem ótima estrutura”, recomenda.

Nossa Análise

A Cordelier acertou na dose certa a combinação de álcool, acidez e  corpo desse Cordelier Espumante Brut. O exemplar seco é muito gostoso e é uma das melhores opções para agradar a todos os tipos de paladar.

Para os bebedores mais rigorosos, trata-se de um espumante muito adequado, com certa elegância. Para iniciantes ou pouco atentos à complexidade do produto, um vinho fácil de beber, pois não é demasiadamente seco, não apresenta amargor e tem uma textura de boca muito macia.

A coloração é de um amarelo esverdeado intenso, com reflexos verdes, lembrando um pouco a chá. Oferta abundante quantidade de borbulhas, de pequenas para médias, em desprendimento constante do fundo da taça, em linha reta – sinal de qualidade – e formando uma pequena coroa de espuma na superfície do vinho.

Ao primeiro contato com o nariz, exala uma sensação fria, de acidez. Depois, aparecem odores de pão tostado, um leve toque mineral, perfumes de flores brancas, lembrando a jasmim, e uma ponta cítrica, remetendo a lima e abacaxi. São odores de intensidade média para baixa, exigindo atenção do degustador.

Na boca, a entrada é fina, nada explosivo, com uma sensação refrescante e de bom preenchimento, com untuosidade. A salivação, provocada pela acidez, também é média, nada exagerado, mantendo um sabor cítrico persistente por mais de 4 segundos após o gole.

Não se nota, mesmo depois do gole, nenhum toque de amargor e fica a sensação agradável de continuar bebericando. O álcool, de 12%, também é muito bem integrado, sem se destacar no paladar. Uma boa dica para ser servido em festas, como recepções e casamentos, principalmente por ser um vinho versátil e ter boa relação entre qualidade e preço.

Harmonização

Aperitivo
Carnes brancas (peixes e frangos)
Queijos brancos

Onde Encontrar

Vinícola Cordelier
(54) 2102-2333 (Bento Gonçalves - RS)
www.cordelier.com.br

Copyright® 2021 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions