Vinho
Indicar para um amigo

Cordelier Espumante Brut Rosé (Vinícola Cordelier)

País: Brasil (Bento Gonçalves – Vale dos Vinhedos)
Safra: -
Tipo: Espumante (100% Merlot)
Álcool: 12,00%
Temperatura de consumo: 6ºC a 8ºC
Preço: R$ 25,00

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

Uma das apostas das vinícolas brasileiras para o crescimento do consumo de espumantes no País tem sido o desenvolvimento das linhas de rosés, com aromas e sabores frutados de maior intensidade e com uma presença minimamente doce, capaz de atendar a paladares pouco afeitos às estruturas demasiadamente secas, típicas dos “bruts”. O Cordelier Espumante Brut Rosé é, assim, o exemplar da Vinícola Cordelier, do Vale dos Vinhedos, a disputar esse mercado de consumo ascendente.

Elaborado 100% com uvas Merlot, esse espumante não é safrado, pois o produtor pode, eventualmente e para obter melhor qualidade do produto, misturar vinhos de safras distintas. Esse espumante conta com o selo de Indicação de Procedência do Vale dos Vinhedos, o que garante que todas as uvas usadas na produção foram cultivadas na localidade da Serra Gaúcha.

As cepas utilizadas não são as mesmas dos vinhos tintos, por serem colhidas antecipadamente, para evitar que evolução do teor alcoólico, capaz de comprometer a acidez e o sabor do espumante. Após colhidas e prensadas, as uvas seguem para fermentação em autoclaves, com temperatura controlada, por um período de 45 dias, conhecido como método Charmat. Depois de filtrados e engarrafados, os espumantes seguem diretamente para comercialização, de forma a chegar ao consumidor com elevado frescor.

Cerca de 12 mil garrafas do Cordelier Espumante Brut Rosé são fabricadas, por ano, pela Cordelier, um volume muito baixo. A temperatura de consumo é de 6ºC a 8ºC e o vinho pode ser consumido como um aperitivo, servido em coquetéis ou como acompanhamento de massas, saladas e peixes.

MundoVinho provou o Cordelier Espumante Brut Rosé ao final de setembro de 2009.

Análise Técnica

Dario Crespi, enólogo da Vinícola Cordelier, diz que criou o Cordelier Espumante Brut Rosé para ser um exemplar mais “amigável” ao paladar médio do consumidor brasileiro, pouco afeito à estrutura muito seca dos “bruts”.

“Mantivemos os limites de açúcares permitidos para a qualificação brut, mas admitimos uma pequena presença de açúcar, para tornar o paladar menos seco e promover uma melhor integração com a acidez”, explica.

Segundo ele, a coloração do espumante é de um rosado vermelho-romã, de média intensidade. “Ainda não há o consenso no mercado e entre os consumidores sobre qual seria a melhor coloração para um rosado. Buscamos um meio-termo entre a intensidade do salmão e a quase transparência do casca-de-cebola e acredito termos acertado na tonalidade”, avalia.

De perlage fino e volumoso, de acordo com o especialista, o Cordelier Espumante Brut Rosé tem o mérito de manter o colarinho com bastante persistência, em sinal de qualidade.

“Produzimos um espumante muito delicado e elegante, bastante jovial, com notas aromáticas de frutas vermelhas, sobretudo morango, combinado com cassis e ameixa preta”, descreve. “Tem ainda um leve toque amanteigado e, na boca, demonstra bom volume e desperta prazer, com o equilíbrio entre o álcool e a acidez”, pondera.

O especialista afirma que esse vinho pode ser servido como um coquetel de recepção para eventos, bem como o vinho de entrada numa refeição. “A estrutura também suporta pratos como salmão e outros peixes, ou massas com molhos leves, como lasanha”, sugere.

Nossa Análise

Espumantes rosados são ótimas opções para quem organiza uma festa ou recepção e prefere não correr risco. Nesse Cordelier Espumante Brut Rosé, por exemplo, além de uma ótima relação entre qualidade e preço, você encontrará um espumante gostoso, fácil de beber, visualmente muito agradável e que não é enjoativo, muito pelo contrário.

A coloração rosado, de intensidade média, oferece um charme interessante na taça. Há um intenso volume de borbulhas, de médias para grandes, que se desprendem constantemente do fundo da taça e formam uma pequena coroa de espuma, bastante persistente. Esse colarinho é importante, por preservar o contato do vinho ao oxigênio, mantendo seu frescor, sabores e temperatura.

A cor rosa, evidentemente, provoca a memória olfativa e remete a perfumes de frutas vermelhas. Mas os aromas são típicos da Merlot, sendo facilmente notáveis: morango e cereja, num primeiro contato; ameixa, logo depois; e uma ponta de manteiga, levemente salgada. Há, também, uma percepção bastante clara de “frio” nos perfumes exalados, caracterizando a acidez e a jovialidade do vinho.

O paladar confirma os odores em sabores, deixando uma pequena sensação de doce, mas que não se confirma, dada a característica do espumante seco. Nota-se a boca cheia, com intensa explosão de gás carbônico e o preenchimento de todos os espaços.

Um exemplar para ser bebido principalmente durante a Primavera e Verão, em dias quentes e alegres. Principalmente por conta da sua delicadeza e facilidade em beber. Como o álcool de 12% é muito bem integrado, recomenda-se moderação no consumo, pois o “pilequinho” pode ser inevitável.

Deve ser servido com temperatura de 6ºC a 8ºC, mantido em um balde com gelo ou winecooler.

Harmonização

Aperitivo
Coquetéis
Canapés
Salmão
Lasanha
Massas com molhos leves
Carpaccio

Onde Encontrar

Vinícola Cordelier
(54) 2102-2333 (Bento Gonçalves - RS)
www.cordelier.com.br

Copyright® 2019 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions