Vinho
Indicar para um amigo

Cave Pericó Brut Rosé (Vinícola Pericó)

País: Brasil (Pericó Valley – São Joaquim - SC)
Safra: -
Tipo: Espumante (60% Cabernet Sauvignon e 40% Merlot)
Álcool: 12,50%
Temperatura de consumo: 5ºC a 8ºC
Preço: R$ 38,00

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

A Vinícola Pericó começou a ser criada em 2002, a partir do plantio de uvas Merlot e Cabernet Sauvignon em São Joaquim, famosa cidade turística de Santa Catarina, reconhecida por nevar. Nessa localidade, os vinhedos foram posicionados a 1,3 mil metros acima do nível do mar, num lugarejo chamado de Pericó Valley.

Ali, as uvas amadurecem em condições muito frias, o que aporta grande frescor e acidez aos frutos. Há, constantemente, riscos de geadas, que podem comprometer o bom andamento da safra.

A vinícola desenvolveu os primeiros exemplares de espumantes a partir das primeiras safras obtidas, caso do Cave Pericó Brut  Rosé. Apenas 8,1 mil garrafas desse vinho são produzidas, a partir da colheita das uvas, que seguiram para Flores da Cunha, em câmaras frigoríficas.

Depois da prensagem, o mosto manteve contato com leveduras por cerca de dois meses, em autoclaves, com temperatura controlada em 12º C, de forma a melhorar a perlage do vinho, e elevar sua cremosidade e aportar aromas frutados.

Trata-se de um espumante brut, com baixo teor de açúcar residual. A temperatura de serviço do Cave Pericó Brut Rosé é de 5º C a 8º C e, após aberto, deve ser mantido em um balde com gelo e água. Trata-se de um espumante versátil, que pode ser servido como entrada, mas que conta com estrutura consistente para acompanhar comida.

O exemplar recebeu medalha de ouro no "VI Concurso do Espumante Brasileiro", realizado em agosto de 2009 pela Associação Brasileira de Enologia (ABE).

MundoVinho avaliou o Cave Pericó Brut Rosé no final de outubro de 2009.

Análise Técnica

Um espumante de alta qualidade, que chama a atenção e que se destaca por sua versatilidade. É assim que o enólogo e engenheiro agrônomo Jefferson Sancineto Nunes, responsável técnico pelo Cave Pericó Brut Rosé, qualifica sua criação. “Sou casado há 20 anos, mas se fosse casar novamente, esse é o espumante que eu serviria na festa”, brinca, orgulhoso.

Observa o especialista que o segredo do exemplar reside na capacidade de apresentar um ótimo desempenho como um simples aperitivo e encarar, com facilidade, pratos difíceis, como feijoada. “É um vinho que chama a atenção, a começar por sua coloração, rosa cereja bem claro”, inicia a descrição.

Segundo ele, apesar de “inusitado”, o corte de Cabernet Sauvignon e Merlot obtém grande performance depois de dois meses em contato com leveduras especiais em autoclaves, com temperatura controlada em 12º C. “Isso proporciona uma grande cremosidade, uma coroa muito persistente, e um perlage ótimo, com grande quantidade de borbulhas, muito pequenas, excepcionais para uma produção pelo método Charmat”, analisa.

Nos aromas, o especialista identifica presença marcante de frutas vermelhas, nitidamente goiaba, combinado com aromas cítricos, de maracujá, e florais, de rosas.

“Na boca, se confirma o sabor de goiaba, mais de goiabada cascão, com uma leve presença doce no sabor, resultado do equilíbrio do açúcar com a acidez”, relata. “A acidez é muito marcante, como bom brut, as borbulhas ‘limpam’ a língua, um efeito detergente”, acrescenta.

É essa característica, de acordo com Nunes, que traz versatilidade para o exemplar. “O brut limpa a boca e a prepara para a próxima garfada, para perceber-se o sabor da comida. É um vinho excelente para harmonização, desde um aperitivo, como canapés de salmão, até feijoada”, reforça.

Nossa Análise

Você pode se encantar pela coloração, pelos aromas frutados e pelas borbulhas. Mas a cremosidade do Cave Pericó Brut Rosé é daquelas que deslumbram a todos os paladares. É um espumante perfeito para refeições, pois tem ótima estrutura, combinando o bom corpo (sensação tátil na boca) com acidez (sensação refrescante) e álcool (de 12,5%).

A coloração é de um rosado puxado para salmão, levemente cobreado, não muito escuro. Apresenta também uma imensa quantidade de borbulhas, muito finais, que se desprendem em grande quantidade, formando uma coroa persistente, revelando um bom perlage.

No olfato, dois momentos marcantes. O primeiro é a brisa fria expelida pelo vinho, resfriando a ponta do nariz, sinal da acidez gerada pelo processo de maturação das uvas, na gelada região de São Joaquim (SC), posicionada a 1,3 mil metros acima do nível do mar.

O segundo momento é o cheiro forte de frutas vermelhas, de goiaba, principalmente, combinado com frutas tropicais, caso de maracujá e uma ponta de abacaxi. Um toque floral, de rosa,  passa quase despercebido. Há, no geral, uma sensação de cheiro doce.

No paladar, uma festa de sabores e sensações. Parece uma bebida doce, mas mantém as características de um brut (seco). Os sabores frutados se confirmam, puxando não apenas a goiabada, mas também confirmando o maracujá, deixando um retrogosto cítrico, depois do gole. A persistência é longa, por mais de 6 segundos.

Vale destacar ainda que a boa quantidade de borbulhas preenche bem a boca, mas a cremosidade, insistimos, é insuperável. Tem uma textura amanteigada, preenchendo todos os cantos da boca com viscosidade.

Gera boa salivação, graças à acidez, e o final de boca levemente adocicado é prazeroso. Vale a pena ousar na harmonização, combinando muito bem com culinária japonesa, como também com carnes grelhadas. A temperatura de serviço é de 5º a 8º C, bem gelado, devendo ser mantido num balde com água e gelo depois de aberto.

Harmonização

Aperitivo
Salmão
Atum
Lagosta e camarão
Culinária japonesa
Feijoada
Carnes brancas e vermelhas grelhadas

Onde Encontrar

Vinhos Web
(51) 3398-6701 (Porto Alegre)
www.vinhosweb.com.br

Copyright® 2021 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions