Vinho
Indicar para um amigo

Caballo Loco NR 9 (Valdivieso)

País: Chile (Vales do Maipo, Colchagua e Lontue)
Safra: -
Tipo: Tinto (Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Carmenère, Malbec e Merlot)
Álcool: 14,50%
Temperatura de consumo: 16ºC a 18ºC
Preço: R$ 329,00

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

Caballo Loco é o grande vinho da Valdivieso e o primeiro ultrapremium chileno. Ele não traz no rótulo referências do ano e tampouco das uvas da composição. É resultado de uma “alquimia”, em virtude da inusitada mistura de vinhos de diversas cepas, safras e locais de cultivo, iniciada nos anos 90 e comandada pelo então diretor da vinícola Jorge Coderch, o “Caballo Loco”, que emprestou seu apelido ao vinho.
 
Na época, havia na Valdivieso várias barricas cheias de vinhos de qualidade superior estocados, das variedades Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot e Malbec, de safras compreendidas entre 1990 e 1993, porém em quantidades insuficientes para uma linha varietal Premium. Assim, a vinícola resolveu criar um tinto ultrapremium seco a partir da mistura desses vinhos, nascendo o Caballo Loco.

Metade do que havia nessas barricas foi utilizado e engarrafado para o Caballo Loco número 1, lançado em 1994, sendo a outra metade do vinho foi reservada e misturada com os vinhos para a elaboração do Caballo Loco número 2. Metade do número 2 foi reservado e recebeu uma nova mistura, gerando o número 3, e assim por diante, conforme explicou um dos enólogos da Valdivieso, Eugenio Ponce, entrevistado por MundoVinho na loja Ville Du Vin de Alphaville, na Grande São Paulo, em novembro de 2009.
 
“Por conta dessa mistura de diversos vinhos de diferentes safras, a Valdivieso optou por numerar as edições do Caballo Loco, sem especificar o ano e a proporção das cepas utlilizadas na elaboração”, conta o especialista.
 
A certeza é que a cada nova edição deste vinho cerca de 50% da anterior se soma ao corte de colheitas subsequentes, com o propósito de incrementar cada vez mais seu blend e, ao mesmo tempo, possibilitando que todo Caballo Loco sempre carregue em seu DNA ao menos uma pequena fração da mistura inaugural.
 
Com o tempo, a uva Carmenère também passou a fazer parte do corte e está presente neste Caballo Loco número 9, metade elaborado com as uvas da safra 2003 e os outros 50% provenientes da mistura do Caballo Loco número 8.

Foram produzidas 16,8 mil garrafas da nona edição, sendo cerca de 3 mil importadas ao Brasil. Por ser um vinho potente, com aromas e sabores bem marcantes, deve acompanhar pratos contendo carnes fortes, como de javali ou mesmo de cabrito, além de ir muito bem com queijos maduros. Seu potencial de guarda é de 10 anos, em condições adequadas. Recomenda-se decantar por 30 minutos antes de servir.

Análise Técnica

As videiras que produzem as uvas do Caballo Loco possuem de 40 a 60 anos de idade e fornecem de um a dois cachos cada uma, fazendo com que o aproveitamento seja de 2 a 3 mil kg de uva por hectare, conforme informou o enólogo Eugenio Ponce, da Valdivieso, entrevistado por MundoVinho durante degustação na loja Ville Du Vin, em Alphaville, na Grande São Paulo. É uma das menores escalas de produção registradas no continente.

“Trata-se de um vinho elaborado com os melhores frutos, potente, estruturado e com aromas e sabores muito marcantes”, afirmou Ponce.

Na avaliação visual do Caballo Loco 9, o enólogo mencionou o vermelho rubi intenso, brilhante e límpido, com pouca transparência. No nariz, o especialista destacou a complexidade deste tinto Premium, com aromas finos de frutas vermelhas e negras maduras como ameixa, amora e framboesa, além de toques de canela, ervas secas, couro e tabaco. O especialista ainda identificou a presença de notas de baunilha e de tostado, influência da passagem pela madeira.
 
“Um vinho potente na boca, encorpado, estruturado, com entrada de peso e ataque frutado. Seus taninos são suaves e presentes, além da acidez muito bem equilibrada com o conjunto do vinho”, resumiu, depois do gole, ressaltando ainda a persistência longa deste tinto seco.

Por ser um vinho potente, com aromas e sabores bem marcantes, deve acompanhar pratos contendo carnes vermelhas assadas, de sabor acentuado, como javali ou mesmo cabrito, além de ir muito bem com queijos maduros. Seu potencial de guarda é de 10 anos, em condições adequadas. Ponce recomenda decantá-lo por 30 minutos antes de servir.

Nossa Análise

Primeiro vinho ultrapremium do Chile, o Caballo Loco nasceu nos anos 90. Suas edições são numeradas e o rótulo não informa a safra, tampouco as uvas da composição. Isso acontece porque ele é resultado de uma inusitada mistura de vinhos de diversas cepas e safras, das variedades Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Malbec, Merlot e Carmenère.
 
Cada safra é incrementada com uma parte da edição anterior, de modo que este Caballo Loco número 9 tem a safra 2003 respondendo por metade da mistura, sendo os outros 50% provenientes do Caballo Loco número 8 (filhote da composição de parcelas que se misturam de todas as edições anteriores).

Trata-se de um vinho superior, com colecionadores pelo mundo, que deve ser aberto em ocasiões muito especiais ou em grandes comemorações, preferencialmente em jantares que tenham carnes fortes assadas no prato principal, como javali, cabrito ou caças. Vai também muito bem com queijos fortes e maduros.
 
Sua coloração é de um vermelho intenso, brilhante e límpido, com um pouco de transparência se colocado contra a luz. A intensidade também se repete nos aromas, que lembram frutas vermelhas e roxas, maduras, destaque para ameixas. Além das frutas, também aparecem notas de couro, algo vegetal e de baunilha. Portanto, um vinho com complexidade aromática presente e muito fina, aspectos positivos do exemplar.
 
Na boca, o peso (sensação tátil na língua) do vinho já é percebido logo de cara, com um ataque leve dos taninos (substância que amarra lábios e gengivas). A acidez (sensação que provoca salivação) presente se contrapõe aos 14,5% do álcool e deixa o paladar do degustador solto para apreciar as notas frutadas deste Caballo Loco. Após o gole não há amargor e o vinho seco tem muito boa persistência.

Na loja da Ville Du Vin de Alphaville, na Grande São Paulo, MundoVinho experimentou este Caballo Loco 9. A recomendação é para decantá-lo 30 minutos antes do serviço, entre 16ºC e 18ºC.

Harmonização

Carnes vermelhas assadas
Cordeiro assado
Javali assado
Queijos fortes e maduros
Massas com molhos encorpados

Onde Encontrar

Ville Du Vin
(11) 4208-6061 (Grande São Paulo)
www.villeduvin.com.br

Copyright® 2018 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions