Vinho
Indicar para um amigo

Shannonea (Raka Wines)

País: África do Sul (Walker Bay - Ward de Klein River)
Safra: 2005
Tipo: Branco (78% Sauvignon Blanc, 13% Viognier e 9% Chardonnay)
Álcool: 14,38%
Temperatura de consumo: 8ºC a 10ºC
Preço: R$ 64,40

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

Na última cadeia de montanhas da África do Sul, denominada Klenrivier, região de Walker Bay, estão localizados os 68 hectares cultivados pela Raka Wines, onde se produz Cabernet Sauvignon, Merlot, Shiraz, Pinotage, Viognier, Mouvèdre, Petit Verdot, Cabernet Franc, Malbec e Sauvignon Blanc.

Por estar posicionada na região meridional do continente, a cadeia montanhosa sofre influência das correntes frias vindas da Antártida, resultando num clima, em média, 2ºC mais frio que as temperaturas da região de Stellenbosch, um dos principais pólos vinicultores do país.

O conjunto formado por essa corrente fria, pelas águas do Rio Klein, pela proximidade do Oceano Índico, e o clima quente converte-se em vinho refrescante, de elevado teor alcoólico e acidez, também conseqüência do amadurecimento tardio das uvas.

O nome Shannonea se deve à flor indígena Erica Shannonea, do bioma fynbos, cultivada na região de Overberg, próxima ao vinhedo.

As três uvas que formam o exemplar (Sauvignon Blanc, Viognier e Chardonnay) são cultivadas em vinhedos próprios, com colheita manual e em pequenas caixas, de forma a garantir, já nesta etapa, a seleção dos cachos. A vinícola conta com a consultoria da enóloga Danelle van Rensburg, que já atuou na Austrália, Suíça e em várias regiões da França.

Análise Técnica

Ao degustar este Shannonea 2005, durante a 11ª Expovinis, em São Paulo, em abril de 2007, o sommelier Guilherme Côrrea, da Decanter, resumiu: “É um vinho bastante exótico, com particularidades, dono de um estilo entre o Novo e o Velho Mundo”.

A conseqüência disso é um vinho “cheio de facetas”, afirma Côrrea, muito influenciado pelo solo de arenito em composição da área plantada, no qual a Sauvignon Blanc, uma das três castas a compor o exemplar, obtém excelentes resultados.

Segundo o especialista, o Shannonea é um “típico branco de clima frio”, demonstrado pelas características de envelhecimento tardio das frutas causado pela forte influência dos ventos do Oceano Índico.

“No olfato, demonstra um lado verde, algo como groselha verde, típica da Sauvignon Blanc, e também algo de pêssego e notas de flores brancas, de violeta”, descreveu.

No exame gustativo, destaque para o caráter mineral do exemplar, com aspectos cítricos, de acordo com o especialista. “A Viognier dá uma amortecida no lado pungente da Sauvignon Blanc”, acrescentou.

Anotou Côrrea que o vinho apresenta muito frescor e, ao mesmo tempo, boa acidez, mostrando harmonia com o elevado teor alcoólico (14,38%). O especialista recomenda guarda para um período até quatro anos.

Nossa Análise

Um vinho bastante peculiar, distinto, o sul-africano Shannonea 2005. Iniciamos a degustação vendo este vinho como uma incógnita, já que é composto por três uvas (Sauvignon Blanc, Viognier e Chardonnay) e a região de Walker Bay não é tão conhecida assim.

De início, agrada a beleza do líquido, amarelo claro, brilhante, com alguns reflexos esverdeados. Já no primeiro contato com o olfato, se nota um cheiro gostoso de pêssego, bastante fresco, de fruta nova, e bem intenso. Também é fácil perceber um aroma floral, lembrando flor de laranjeira, mas nada adocicado.

Ainda no olfato, o frescor também já provoca alguma salivação, confirmada, logo em seguida, pelo primeiro contato do vinho com a boca. Há uma predominância da acidez, numa sensação muito agradável de frescor, que reforça a salivação.

Também surge o sabor cítrico, com uma pitada de azedo, e um sabor de nectarina. Um vinho muito gostoso, fácil de beber, mas que também tem uma presença marcante de álcool e até algum amargor, no final.

Após o gole, permanece a sensação agradável, longa, por mais de seis segundos na boca, reafirmando a presença do sabor cítrico. Tem uma qualidade muito boa, fina, sem a elegância dos vinhos europeus, mas também sem a robustez de alguns brancos do Novo Mundo. Como afirmamos antes, é um vinho bastante particular, diferente.

Harmonização

Salada verde acompanhada de frutos do mar grelhados, sem molhos e temperos
Peixe (robalo, por exemplo) grelhado, sem tempero acentuado

Onde Encontrar

Decanter
(11) 3074-5454 (São Paulo) ou (47) 3326-0111 (Blumenau)
www.decanter.com.br

Copyright® 2018 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions