Vinho
Indicar para um amigo

Primitivo Del Tarantino I Monili (Pervini)

País: Itália (Puglia - Manduria, Fragagnano e Taranto)
Safra: 2003
Tipo: Tinto (90% Primitivo e 10% Montepulciano)
Álcool: 13,00%
Temperatura de consumo: 18ºC
Preço: R$ 46,20

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

A região de Puglia, de onde provém as uvas deste Primitivo Del Tarantino, fica no Sul da Itália, mais especificamente no pé da Bota, onde o clima é quente e são produzidos vinhos mais secos. O sol brilha forte nos meses de verão e apenas no inverno a região é banhada pelas chuvas. Um regime climático bastante favorável à produção de boas uvas aos viticultores.

No entanto, apenas recentemente a produção de Puglia foi aperfeiçoada para a criação de bons vinhos, tornando-se local de vitivinicultura da Itália, respondendo por 14% do volume total de vinhos do país.

E uma das famílias que colaboraram para melhora da qualidade dos vinhos na região foi exatamente a família Perucci, proprietária da Pervini, que se focou num trabalho de valorização das castas nativas daquele local e adotou técnicas milenares no plantio das uvas. Uma dessas técnicas é a denominada alberello, consistindo em manter as videiras com aspecto de arbusto, sem sustentação de qualquer aparador. Além disso, na bodega os vinhos são concebidos com a ajuda da tecnologia, porém o toque final permanece o tradicional do Velho Mundo.

Dentre as diversas cepas cultivadas no pé da Bota, a quantidade da autóctone Primitivo é considerada quase insignificante, muito pequena de uma casta diferente, que, mesmo oriunda de climas quentes, é capaz de transferir frescor ao vinho.

A Primitivo é a versão italiana da uva californiana Zinfandel. Apesar da mesma origem, a Primitivo pouco se assemelha ao seu clone norte-americano. Os toques de frutas vermelhas em compota são peculiaridades apenas da cepa da Itália.

Análise Técnica

O Primitivo del Tarantino da vinícola Pervini demonstrou perfeição no exame visual feito pelo sommelier Cezar França, responsável pela filial da Decanter em São Paulo. Este vinho possui cor rubi com reflexos violáceos, que acaba dando um aspecto enferrujado. Contudo, a bebida apresentou uma cor muito boa e o brilho que se espera de um vinho jovem.

Em seguida, ao ser servido na taça, o sommelier destacou inicialmente o cheirinho de chá exalado pelo vinho, que logo evoluiu para aromas mais doces de frutas maduras, especialmente o de cereja em compota, e ainda com notas de especiarias e de eucalipto. Um vinho fino, com aromas que podem ser notados facilmente, com persistência média ao olfato do bebedor, conforme anotou França durante a degustação do exemplar.

Na boca, o especialista observou a maciez do Primitivo Del Tarantino. Ou seja, que seus taninos são suaves, mais presentes, por sinal, graças à presença dos 10% da cepa Montepulciano no corte. “Essa uva foi adicionada à composição deste Primitivo para encorpar o vinho, e isso inclui mais tanino”, afirmou França, que considerou o vinho bastante equilibrado, com todos os componentes (acidez, tanino e álcool) em harmonia.

A sua fineza e persistência média no exame olfativo se repetiram no exame gustativo. Segundo o sommelier, o vinho demonstrou boa evolução depois de servido na taça, com a transformação dos gostos iniciais em outros sabores, fortalecendo a presença de frutas e de chá, com o passar de alguns minutos.

Nossa Análise

A cepa Primitivo não é das mais citadas quando o tema é vinho, muito pelo contrário. Portanto, o próprio nome Primitivo Del Tarantino denota, por si só, um vinho diferente. E já começa a se perceber esse diferencial no que se refere a sua coloração, que já chama a atenção nesse rótulo italiano de Puglia: o aspecto enferrujado, não põem em cheque sua qualidade - pelo contrário, apenas brinda o degustador com uma tonalidade diferente.

Tal peculiaridade quase que já faz com que automaticamente a pessoa aproxime a taça do nariz para saber os tipos de perfumes que podem emanar do vinho.

Então, nota-se o cheiro de chá, lembrando mais os chás gelados, que rapidamente desaparece, dando lugar ao cheiro mais doce de ameixas em calda e também compota de cereja. O toque do eucalipto também é bem notado.

A complexidade de sabores se repete na boca, mas com duração média, de poucos segundos. O corpo que a uva Montepulciano fornece ao vinho faz com que ele seja bem mais agradável na boca do que no olfato.

Mesmo sendo um vinho de uvas cultivadas em regiões mais quentes, o Primitivo Del Tarantino possui certo frescor, que seria característico de uvas de regiões mais frias, e acidez agradável. Talvez esse seja também um fator de surpresa desse vinho.

Harmonização

Penne com azeitonas pretas, tomates maduros e lingüiça
Pizza de calabresa picante ou calzone com pecorino, azeitona e cebola

Onde Encontrar

Decanter
(11) 3074-5454 (São Paulo) ou (47) 3326-0111 (Blumenau)
www.decanter.com.br

Copyright® 2017 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions