Vinho
Indicar para um amigo

Viña Berceo Crianza (Bodegas Luis Gurpegui Muga – Berceo)

País: Espanha (Rioja)
Safra: 2001
Tipo: Tinto (cerca de 90% Tempranillo, 7% Graciano e 3% Mazuelo)
Álcool: 13,00%
Temperatura de consumo: 15ºC a 18ºC
Preço: R$ 55,00

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

Datada de 1872, a Bodegas Luis Gurpegui Muga – Berceo S.A. é das mais antigas da Espanha, fabricando vinhos não somente em Rioja, principal centro produtor daquele país, mas também em Navarra, na França e no Chile.

Este Viña Berceo Crianza 2001 advém de Rioja, onde a vinícola possui cerca de 158 hectares de vinhedos próprios e controla outros 1.625 hectares, de agricultores locais. Ali, com colheita manual, cultiva as cepas Tempranillo, Garnacha, Mazuelo, Graciano e Viura. Para este exemplar, a maior concentração é de Tempranillo, complementada por Graciano e Mazuelo. “A Graciano emprega vivicidade ao vinho, enquanto a Mazuelo, mais grosseira, auxilia no composto e sabor”, explica o sommelier Mauricio Leme, da importadora World Wine.

Rioja é uma região milenar na produção de vinhos. Para se ter uma idéia, há mais de dois mil anos, durante a chegada dos romanos à região, os habitantes já dominavam as técnicas de fabricação do vinho. A presença romana, evidentemente, colaborou para o aperfeiçoamento produtivo.

A identificação “Crianza” determina que todo vinho teve envelhecimento mínimo de dois anos antes de chegar ao mercado, sendo que por pelo menos seis meses em barricas de carvalho. Especificamente o Viña Berceo Crianza 2001 passou em barricas de carvalho francês (70%) e americano (30%) por um período de 13 meses, seguindo para afinamento de cinco a seis meses em garrafa, antes de ser comercializado.

Recomenda-se que seja decantado ou pelo menos aberto cerca de 30 minutos antes de ser servido, para que os aromas possam ser melhor notados.

Análise Técnica

Equilibrado, redondo e potente. O sommelier Mauricio Leme, da World Wine, acredita que o Viña Berceo Crianza, safra 2001, vive o momento de ápice. “É um vinho que vai se manter nesta condição até 2009. Talvez em 2008 esteja no seu melhor momento”, afirma o especialista.

Ao começar a descrever o exemplar, destaca o rubi intenso, limpo e brilhante, bastante atrativo. Um tempo e atenção maior são dados, porém, à análise olfativa.

“No primeiro momento, percebemos alguns aromas, mas nada definido: algo de frutas e especiarias”, explica. “Quando o vinho abre, algum tempo depois, identificamos facilmente as frutas vermelhas, frutas cozidas e especiarias”, descreve, ao citar o aroma de framboesa, envolto em madeira e especiarias.

Além disso, o especialista destaca o “cheiro adocicado de fruta” a despontar nos primeiros minutos. “A decantação é recomendada para beneficiar os aromas do nariz, não para equilibrar o vinho”, explica.

Também na boca há, segundo Leme, a confirmação dos sabores, num vinho “aveludado, delicado e intenso”. “Apesar da potência, se mantém o tempo todo equilibrado, com bom sabor e notas muito interessantes, resultado da passagem por carvalho francês e americano”, comenta.

Para ele, a Berceo S.A. demonstra, com este Viña Berceo Crianza, estar na vanguarda da produção de vinhos na Espanha. “É um vinho diferente dos antigos de Rioja, muito concentrados em madeira amarga. Este é mais suave, delicado, com ótima persistência”, comparou.

Nossa Análise

É fácil se render aos encantos deste Viña Berceo Crianza 2001. Não por ser para muitos um “Clássico de Rioja”. Porque, como se sabe, “clássicos”, “reis” e afins podem ser muito mais títulos nascidos de campanhas de marketing do que sinônimos de qualidade.

Mas este vinho justifica a comenda. A começar porque é muito gostoso. Tem uma cor brilhante, um rubi bastante intenso, e um corpo de média para alta concentração.

Seguimos a orientação do fabricante e deixamos a garrafa aberta por 20 minutos antes de servi-lo. Se é que cabe uma recomendação, melhor esperar 30 minutos. Foi a partir daí que surgiram os odores de frutas vermelhas, como framboesa, ameixa, cereja e algo de especiarias, como canela e cravo.

Ainda antes de beber, também notamos aromas doces, como baunilha e compota de frutas. E foi na boca que todos esses cheiros se transformaram em sabores, facilmente notados, mesmo sendo um vinho seco.

É praticamente imperceptível o cheiro e sabor de madeira. Estão totalmente integrados ao vinho. O tanino, aquela substância que incha boca, lábios e bochecha, não aparece. Em nenhum momento, aliás, assim como o álcool, também em equilíbrio. Prevalece o sabor gostoso, boa acidez, que provoca salivação, e o desejo de continuar bebendo.

Uma dica: opte por uma taça grande, pois quanto maior o contato com o oxigênio, mais gostoso é este vinho. Fácil de beber, mas merece um acompanhamento. Agradará num jantar, para regar uma boa conversa ou para presentear uma pessoa querida.

Harmonização

Carnes de caça com molhos
Carnes vermelhas grelhadas
Ensopados
Assados
Queijo de média maturação, com sabor de intensidade média

Onde Encontrar

World Wine
Telefone (11) 3315-7477
www.worldwine.com.br

Copyright® 2017 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions