Vinho
Indicar para um amigo

Angheben Barbera (Angheben Adega de Vinhos Finos)

País: Brasil (Encruzilhada do Sul – Serra do Sudeste do RS)
Safra: 2006
Tipo: Tinto (100% Barbera)
Álcool: 12,00%
Temperatura de consumo: 15ºC a 18ºC
Preço: R$ 27,00

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

Embora muito jovem, nascida em 1999, a Angheben Adega de Vinhos Finos é uma vinícola de formação familiar, com presença desde o final do século XIX no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha (RS).

Os vinhos levam a assinatura dos enólogos Eduardo Angheben, sócio-gerente da empresa, e de Idalencio Francisco Angheben, há mais de 30 anos professor de Viticultura no Centro Federal de Educação Tecnológica em Bento Gonçalves.

Com a filosofia de elaborar vinhos em quantidade limitada e alta qualidade, a família Angheben instalou vinhedos no município de Encruzilhada do Sul, na região da Serra do Sudeste (RS). Posicionados em altitude de 427 metros acima do nível do mar, os 21 hectares de vinhedos (de uma propriedade de 88 hectares) produzem as cepas Cabernet Sauvignon, Merlot, Teroldego, Touriga Nacional, Pinot Noir, Nebbiolo, Gouveio, Chardonnay e Gewurztraminer.

Também cultivam ali, numa área de 0,7 hectare e com colheita manual, a Barbera, originária do Piemonte, na Itália. Desse cultivo restrito foram extraídas as 2.600 garrafas numeradas deste Angheben Barbera, da safra 2006. Colhidas em Encruzilhada do Sul, as uvas foram transportadas por caminhões em câmaras de refrigeração até Bento Gonçalves, onde está a vinícola.

Metade deste vinho estagiou por seis meses em barricas de carvalho de dois anos de uso e, antes de chegar ao mercado, a bebida amadureceu por quatro meses em garrafa.

Um vinho que está pronto para o consumo, segundo Eduardo Angheben, mas que suporta perfeitamente uma guarda até três anos. A temperatura de consumo sugerida é de 15ºC a 18ºC, combinando bem com pizzas, aves e massas com molhos leves, como um macarrão ao sugo.

Análise Técnica

O enólogo e sócio-gerente da Angheben, Eduardo Angheben, é o responsável, ao lado do pai dele, Idalencio Francisco Angheben, por este Angheben Barbera 2006. Por isso, explicou a MundoVinho sua criação: “É um vinho versátil, tanto para combinar com alimentos mais leves, quanto para harmonizar com carnes e massas”.

Ao plantar a cepa Barbera em Encruzilhada do Sul, Serra Sudeste do Rio Grande do Sul, Angheben afirma que pretendia ter um vinho “não tão encorpado, mas elegante e versátil”. “Encontramos essas características na uva Barbera”, justifica, ao analisar o exemplar.

Descrevendo os aspectos visuais, comentou ser o Angheben Barbera 2006 um vinho de coloração de média intensidade, que ainda apresenta-se violácea devido à jovialidade.

Ao ser indagado pelo aspecto opaco do vinho, sem brilho, o especialista justificou: “Quanto à limpidez, realmente procuramos não ‘descarnar’ muito o vinho para que ele fique o mais ‘integral’ possível, sem abrimos mão de oferecer segurança alimentar a nossos consumidores”, explicou.

No aspecto olfativo, avaliou Angheben, por ser um vinho ainda jovem, predominam aromas de frutas vermelhas, “algo vegetal, mas não herbáceo”, e notas de baunilha. “Com alguns minutos de oxigenação revelam-se notas de caramelo, compota e um nítido aroma de café”, acrescentou.

Revela no paladar um leve frescor, típico da Barbera, segundo o especialista. “Isto também se percebe devido ao baixo teor de taninos e à graduação não tão elevada de álcool, revelando um vinho fácil de beber”, apontou.

Nossa Análise

Fácil de beber, simples, saboroso, um vinho que cumpre muito bem o papel de coadjuvante, sem exigir grandes atenções. Este é o Angheben Barbera, safra 2006.

Num primeiro momento, no exame visual, intriga um pouco a imagem do líquido um tanto opaca, sem brilho. Depois, quando entrevistamos o enólogo Eduardo Angheben, entendemos que a intenção era de não “descarnar” o vinho, mantendo-o integral, primitivo.

Tem uma cor violácea, puxada para escuro, e, no primeiro contato com o nariz, já notamos aromas que lembram doce: baunilha, fruta em compota, algo de ameixa em calda. Há uma presença maior de fruta, sem dúvida.

Na boca, esses cheiros se transformam em gosto. Nada explosivo ou de encher a boca. Suavemente vai surgindo um sabor de fruta madura, algo de uva passa, ameixa e um leve toque de café, no final. O tanino, a substância adstringente que incha gengiva, bochecha e lábios, quase não aparece, bem como o álcool também é bem comportado, não se destaca.

Também não há grande acidez, provocadora de salivação e sensação agradável. Podemos sentir, assim, um vinho equilibrado e gostoso, que combinará bem acompanhando, por exemplo, uma tábua de frios ou mesmo uma pizza. Não se preocupe em analisar muito o Angheben Barbera. Concentre-se nos outros assuntos da conversa de quem te acompanhar, porque a combinação comida e vinho estará muito bem atendida com este exemplar.

Harmonização

Pizzas
Frango assado
Galeto ao primo canto
Macarrão ao sugo
Cheesecake de frutas vermelhas

Onde Encontrar

Angheben Adega de Vinhos Finos
Telefone: (54) 3459-1261 (Bento Gonçalves - RS)
www.angheben.com.br ou www.vinhosevinhos.com/angheben/index.asp

Copyright® 2020 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions