Vinho
Indicar para um amigo

Wild Yeast Chardonnay 2004 (Springfield Estate)

País: África do Sul (Robertson)
Safra: 2004
Tipo: Branco (100% Chardonnay)
Álcool: 14,00%
Temperatura de consumo: 14°C
Preço: R$ 125,00

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

A vinícola Springfield Estate tem como proposta elaborar vinhos com a mínima interferência humana. O enólogo e um dos sócios, Abrie Bruwer, utiliza os métodos mais naturais possíveis para produzir suas obras engarrafadas, os quais se traduzem no lema da empresa: “Da uva para a garrafa com cuidado e paixão”. Sua intenção é fazer com que cada vinho “reflita verdadeiramente a safra e o terroir que os moldou”.

É o caso deste Wild Yeast Chardonnay. Como o próprio nome do vinho sugere, Bruwer aproveita as leveduras selvagens das próprias uvas durante os 13 meses de fermentação, sem adicionar conservantes e tampouco submeter o vinho ao contato com madeira e aço inox.

De acordo com a irmã de Abrie e também sócia da vinícola, Jeanette Bruwer, o Wild Yeast Chardonnay passa, na vinificação, pela fermentação em tanques de cimento, nos quais não há variações bruscas de temperatura, permitindo assim a continuidade do trabalho das leveduras selvagens.

“Em alguns momentos a fermentação cessa por conta da queda de temperatura. Então, espalhamos água quente em volta dos tanques de cimento para que o vinho se aqueça e volte a fermentar da forma mais natural possível”, explica ela, que esteve no Brasil apresentando os rótulos da Springfield, em agosto de 2007, durante a mini-feira / degustação Road Show África do Sul, promovida pela Expand, em São Paulo.

Tudo para refletir no resultado final do vinho o que de melhor pode oferecer o verão moderado com baixas temperaturas noturnas e um inverno rigoroso sob as videiras Chardonnay, além do solo pedregoso com calcário da região de Robertson.

Por outro lado, a adoção dos métodos naturais com a mínima interferência do homem também submete o vinho às intempéries que impossibilitam qualquer reação do enólogo. “Isso acontece quando, por exemplo, o ácido acético se sobrepõe aos demais ácidos, transformando o vinho em vinagre e comprometendo a produção”, aponta ela.

Por isso, nem todo ano nascem as cerca de 15 mil garrafas deste vinho. A última safra antes de 2004 foi a de 2001, e, para o prazer dos degustadores, a vinícola comemora o primeiro biênio deste Wild Yeast (2004, atualmente no mercado, e 2005, que futuramente chegará às prateleiras). O vinho deve ser servido na temperatura de 14°C, de acordo com Jeanette, um pouco acima do habitual para vinhos brancos refrescantes.

Análise Técnica

O Wild Yeast Chardonnay 2004 está pronto para consumo, mas poder ser guardado por mais três ou quatro anos, período em que ainda manterá suas qualidades, de acordo com a sócia-proprietária da vinícola Springfield Estate, Jeanette Bruwer, produtora deste vinho branco. Jeanette esteve presente em São Paulo na segunda quinzena de agosto de 2007, durante a mini-feira / degustação Road Show África do Sul, promovida pela Expand, em São Paulo.

Para que o degustador possa apreciar o que de melhor este vinho tem a oferecer, conforme explicou a representante da vinícola, deve ser servido a uma temperatura de 14°C, acima da habitual para vinhos brancos, entre 7°C e 9°C. Um dos motivos da temperatura mais alta é todo o processo de fermentação realizado com leveduras selvagens das próprias uvas, sem adição de conservantes, tampouco o contato do vinho com madeira ou aço inox.

“Pelo fato de todo o processo ser o mais natural possível na vinificação deste vinho, quanto mais próxima dos 14°C, mais aflora nele seu frescor e sua complexidade”, afirma Jeanette.

Tal complexidade, segundo ela, já é percebida no exame olfativo. A influência das leveduras selvagens pode ser notada em forma de aromas vegetais, juntamente com os perfumes de frutas como damasco, abacaxi e toques cítricos de limão e lima.

Na boca, de acordo com a produtora, o destaque é a acidez que provoca refrescância, ao mesmo tempo em que mostra “a riqueza de sabores frutados de melão e abacaxi”.

Já no exame visual, Jeanette apontou a cor usual amarelo palha brilhante do vinho com tons esverdeados da boa maturação do exemplar. Conforme sugeriu a especialista, o Wild Yeast Chardonnay é um ótimo acompanhamento para peixes em geral.

Nossa Análise

Este Wild Yeast Chardonnay 2004 não é um branco comum. Sua temperatura de serviço recomendada pela vinícola Springfield Estate é de 14°C, acima da temperatura habitual de consumo de brancos, entre 7°C e 9°C.

A explicação para a diferença se remete às peculiaridades da vinificação na qual este exemplar foi submetido, principalmente por conta dos 13 meses de fermentação com leveduras selvagens das próprias uvas, sem adição de conservantes e tampouco contato com madeira ou aço inox.

Assim sendo, aos 14ºC o vinho atinge a temperatura ideal para que suas qualidades sejam descobertas pelo degustador. Entre elas, conforme constatou a equipe de MundoVinho, está a complexidade (variedade de perfumes).

Ao aproximar do nariz o vinho de cor amarelo palha com toques esverdeados, notam-se diversos aromas de frutas como damasco, abacaxi e notas cítricas, além do perfume vegetal influenciado pelas leveduras selvagens.

Sua acidez na boca provoca salivação sob a língua e refrescância, além de uma sensação de quero mais. Um toque bem sutil adocicado também pode ser percebido no paladar.

Em função do preço (R$ 125) e do processo natural de vinificação, este exemplar é um vinho diferenciado para a categoria de brancos, o que o credencia a ser um astro durante um almoço especial num dia quente de verão, cujo prato servido seja um peixe.

Harmonização

Peixes em geral
Pato elaborado com especiarias

Onde Encontrar

Expand
(11) 3847-4747
www.expand.com.br

Copyright® 2019 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions