Vinho
Indicar para um amigo

Calderona Elite Rosado 2006 (Bodegas Frutos Villar)

País: Espanha (Castilla y León - Cigales)
Safra: 2006
Tipo: Rosé (100% Garnacha)
Álcool: 13,50%
Temperatura de consumo: 9°C a 10°C
Preço: R$ 60,00

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

A região de Denominação de Origem (DO) Cigales foi oficializada em 1991 e é uma das cinco de Castilla y León, no noroeste da Espanha. As outras quatro são Ribera del Duero, Rueda, Toro e Bierzo.

Cigales compreende uma área de 2.785 hectares, onde existem mais de 30 bodegas que elaboram vinhos predominantemente de uvas tintas Tempranillo (ou Tinta Del País) e Garnacha, além das brancas Verdejo, Albillo e Viura.

Na DO Cigales, a Garnacha, uva deste Calderona Elite Rosado, é cultivada em aproximadamente 20% das plantações, cujas terras são compostas por calcário sobre argila – totalmente carente de matéria orgânica –, situadas entre 700 e 800 metros acima do nível do mar.

Ali o clima é o continental com influência atlântica. Registra-se forte oscilação térmica durante o ano, capaz de elevar a temperatura à casa dos 40°C no verão e a abaixo de zero no inverno, sendo ainda uma região com regime de chuvas um tanto irregular.

Em geral, por suas características próprias e por conta do terroir, esta cepa transfere ao mesmo tempo para o vinho frescor e graduação alcoólica, além da presença de frutas e suavidade.

A safra 2006, a mesma deste exemplar analisado por MundoVinho, foi classificada como "muito boa" pelo Conselho Regulador da DO Cigales. A observação mais importante dos especialistas espanhóis à safra referiu-se "a elevada graduação alcoólica que forçou elaborações especiais para se conseguir vinhos equilibrados".

Deste Calderona Elite Rosado 2006 foram produzidos 75 mil litros, fermentados em aço inox a 14°C, com 13,5% de graduação alcoólica. Algumas das garrafas do vinho puderam ser apreciadas no restaurante Capim Santo, em São Paulo, durante degustação organizada pela ADE Internacional Excal – Agência de Promoção do Comércio Exterior do Governo de Castilla y Leon, em outubro de 2007.

Análise Técnica

O enólogo e sommelier espanhol Fernando Ortiz foi quem comandou a degustação organizada pela ADE Internacional Excal – Agência de Promoção do Comércio Exterior do Governo de Castilla y Leon, no restaurante paulistano Capim Santo, em São Paulo, em outubro de 2007.

No que se refere ao Calderona Elite Rosado 2006, Ortiz indicou o vinho para ser um ótimo parceiro de pratos em que prevaleçam as verduras, saladas, por exemplo, bem como carnes brancas.

Na concepção do enólogo e sommelier, este exemplar ainda pode escoltar uma paella e um risoto de frutos do mar, o que demonstra se tratar de um vinho versátil, capaz de assumir o posto de bebida da entrada de uma refeição ou a responsabilidade de harmonizar com o prato principal.

Tal avaliação, segundo Ortiz, se dá porque o Calderona Elite Rosado 2006 na boca "se mostra amplo e fresco, com corpo e acidez equilibradas e harmônicas, dominando a força dos componentes de frutas e a intensidade da cor".

Por falar em cor, no exame visual, o especialista espanhol mencionou a tonalidade rosada e os toques violáceos deste Calderona, além de seu brilho e limpidez.

O comandante da degustação, por fim, descreveu as características olfativas do vinho e chamou a atenção para os perfumes agradáveis exalados. "No nariz aparecem aromas florais que desembocam a outros aromas primários de fruta madura, incluindo seu frescor", afirma Ortiz.

De acordo com o ele, o Calderona Elite Rosado deve ser consumido em até dois anos a partir da safra, sempre entre 9°C e 10°C de temperatura.

Nossa Análise

O Calderona Elite Rosado 2006 é um vinho com boa complexidade (aromas e sabores múltiplos) que oferece ao degustador diversas e agradáveis sensações tanto no nariz quanto na boca.

A equipe MundoVinho provou este rosé espanhol durante a degustação organizada pela ADE Internacional Excal – Agência de Promoção do Comércio Exterior do Governo de Castilla y León, no restaurante paulistano Capim Santo, em São Paulo, em outubro de 2007.

A começar pelo nariz, o vinho exala perfumes de frutas vermelhas maduras e algo de floral, além de já deixar claro no olfato a acidez que resultará, depois, em sensação de frescor na boca, principalmente.

A expectativa de refrescância se confirma na boca e é também na análise gustativa que se torna possível sentir as reais pretensões deste vinho, que conta com certo "peso" (sensação tátil) na boca, na medida de um rosé, e pede uma refeição para acompanhá-lo, uma paella ou até quem sabe um risoto.

A graduação alcoólica de 13,5% deste Calderona Elite Rosado 2006 contribui para essa pedida de um prato para harmonização, sendo importante ressaltar o equilíbrio da relação entre corpo, acidez e álcool presentes na bebida.

Por fim, o aspecto da cor, um grande atrativo aos vinhos rosés, talvez por apresentar nuances intermediárias de tintos e brancos. No caso deste Calderona Elite Rosado 2006, um rosado de avermelhado mais intenso, límpido e brilhante, muito sedutor, capaz de ser fator decisivo de compra.

Harmonização

Todos tipos de verduras e carnes brancas.
Paellas
Risotos de frutos do mar

Onde Encontrar

D´Olivino
(11) 5532-1820 (São Paulo)
www.dolivino.com.br

Copyright® 2021 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions