Vinho
Indicar para um amigo

Casa Cadaval Trincadeira (Casa Cadaval)

País: Portugal (Muge – Almerim - Ribatejo)
Safra: 2005
Tipo: Tinto (100% Trincadeira)
Álcool: 13,00%
Temperatura de consumo: 18ºC
Preço: R$ 80,00

 
ApresentaçãoAnálise TécnicaNossa AnáliseHarmonizaçãoOnde encontrar
Apresentação

Localizada no Centro-Sul de Portugal, a região do Ribatejo abriga há mais de quatro séculos, em Muge, a Casa Cadaval. Dali saiu este Casa Cadaval Trincadeira 2005, um varietal elaborado com uvas colhidas na propriedade de 50 hectares, localizada em Muge, uma sub-região de Almerim, à margem esquerda do Rio Tejo, situada a cerca de 80 quilômetros ao norte de Lisboa.

Por conta da presença do Rio Tejo, o clima da região é submediterrânico temperado, o que possibilita a criação de tintos macios, aveludados e frutados, exatamente como este Casa Cadaval Trincadeira.

Na tradicional vinícola, os vinhedos foram plantados há mais de 50 anos em terras não muito férteis, os solos de charneca, que remetem à característica de uma terra quase arenosa. A produção conta com a assessoria técnica do enólogo Rui Reguinga, um dos mais respeitados de Portugal, e execução técnica do engenheiro David Ferreira.

Para explorar ao máximo a qualidade das uvas extraídas da região, a vinícola adota um sistema de “produção integrada”, na qual evita usar produtos químicos e defensivos agrícolas. Após a prensagem e antes do engarrafamento, o vinho estagiou durante oito meses em barricas de carvalho francês e norte-americano.

“O Trincadeira é o xodó da Casa Cadaval”, afirmou o diretor-geral da Mercovino, importadora exclusiva do exemplar, André Maculan, durante degustação realizada para MundoVinho no Bar Central, em Moema, em São Paulo, em março de 2008.

Embora já possa ser consumido, a Mercovino pondera que este Casa Cadaval Trincadeira da safra 2005 deverá evoluir até o ano de 2010, caso guardado corretamente. A temperatura recomendada para consumo é de 18ºC.

Análise Técnica

Ao analisar o Casa Cadaval Trincadeira 2005, durante degustação realizada no Bar Central, em Moema, na capital paulista, em março de 2008, o diretor-geral da Mercovino, André Maculan, destacou a “finesse” do exemplar. “Comparo este vinho, sem nenhum exagero, com os produzidos na Borgonha”, afirmou o especialista.

Segundo ele, embora elaborado com a uva Trincadeira, o exemplar da Casa Cadaval apresenta coloração e notas olfativas que remetem à Pinot Noir. A cor rubi, neste caso, “não é tão intensa”, e os aromas revelam “frutos vermelhos, maduros, combinados com especiarias e notas herbáceas”.

“Não tem nada a ver com um Trincadeira qualquer. Temos aqui um vinho mais macio, elegante, sem remeter a nada de robustez”, justificou.

A elegância do Casa Cadaval Trincadeira 2005 se sobressai, entretanto, na boca, de acordo com o especialista. “Ele revela taninos macios, estrutura complexa e aveludada, além de uma acidez muito equilibrada”, descreveu. “Tudo isso resulta da qualidade com que o vinho é produzido e, sobretudo, do fato de os vinhedos da Casa Cadaval terem mais de 50 anos de idade”, opinou.

Após o gole, observou Maculan, ter um “final de boca nada agressivo”, além de revelar boa persistência. Passados cerca de 10 minutos do vinho na taça, os aromas evoluíram para estribaria. “É um vinho muito refinado”, enfatizou.

Nossa Análise

Para quem diz que vinho é mais ou menos tudo igual, esse Casa Cadaval Trincadeira 2005 é uma boa “pegadinha”. Se nos acostumamos identificar na uva Trincadeira uma certa robustez, principalmente quando ela participa de uma mistura de uvas, conhecida como corte ou assemblage, sozinha, na região do Ribatejo, esta cepa produz vinhos finos, macios e com boa complexidade.

E com esse Casa Cadaval Trincadeira 2005 não é diferente. Na coloração, revela um vermelho escuro límpido, sem ser uma cor cheia, demasiadamente escura, mesmo sendo um vinho encorpado.

No nariz, revela cheiros deliciosos, de amora, cereja e framboesa, remetendo a idéia de frutas maduras. Passados alguns segundos, um odor de algo verde, lembrando a folhagem, aparece, complementado com notas de especiarias. Ao bebê-lo, o vinho surge exatamente no meio da boca, muito macio, preenchendo a todos os cantos, com uma textura aveludada. Neste caso, é uma entrada fina, muito elegante, deixando um gosto leve de cravo e especiarias, combinado com algo verde.

A delicadeza do Casa Cadaval Trincadeira 2005 também se revela na acidez, provocadora de salivação e que gera uma sensação de frescor, profundamente intensa neste vinho. Os taninos, a substância adstringente, que contrai lábios e gengivas, a chamada “pegada”, quase não aparece nesse vinho.

Depois do gole, deixou um gosto frutado na boca e a sensação de frescor por um bom período, mais de oito segundos. Como dissemos antes, este é um vinho interessante para romper paradigmas ou senso comum. Irá bem, por exemplo, para presentear algum amigo, parente ou parceiros de negócios, ou para ser servido num almoço.

Harmonização

Carnes vermelhas
Leitão ao forno
Almôndegas
Berinjela cozida

Onde Encontrar

Mercovino
(16) 3635-5412 (Ribeirão Preto - SP)
www.mercosulvinhos.com.br

Copyright® 2018 MundoVinho®. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução
de qualquer texto sem prévia autorização por escrito de MundoVinho®.
Desenvolvimento MadeinWeb Internet Solutions